Beat Ernst Leuenberg

Drº Leuenberg nasceu na Suíça em 27 de agosto de 1946, iniciou educação escolar em sua cidade natal, Burgdorf. Em 1963 e 1964 como estudante de intercâmbio, estudou em Portales (Novo México, EUA). De volta à Europa, estudou na Universidade de Berna (Suíça) e Heidelberg (Alemanha), obtendo doutorado em Ciências Naturais, em 1975. Seu extenso conhecimento de biologia, química e também fluente em várias línguas, permitiu-lhe aprofundar em tudo que se possa investigar nessas áreas. .
Sua tese de doutorado é um volume que detalha as características morfológicas do pólen de cactos. Ele desenvolveu métodos para o corte de grãos, talvez agora mais frequentes, mas inovador na época, bem como fotos tiradas pelos microscópios eletrônicos de varredura então recente. Ele já tinha usado essa ferramenta valiosa e os primeiros estudos publicados sobre o assunto.
Drº Bata, como era conhecido, teve outras funções, 1975-1976 foi Assistente no Instituto Sistemático-geobotanical da Universidade de Berna. Desde 1976, no Jardim Botânico e Museu Botânico de Berlim Dahlem, Curador sênior, Chefe do Departamento de coleções vivas subtropicais e tropicais em estufas. Apreciou Documentações de espécimes, baseada na identificação e verificação em herbários, incluindo a elaboração de dados de nomenclaturas para o banco de coleções vivas.
Suas publicações sobre plantas são várias, principalmente da Argentina, país muito amado por ele, onde gostava imensamente. Nestas viagens, em sua maior parte, acompanhado de Silvia Arroyo, sua esposa, Argentina e botânica.
Dr. Bata empreendeu numerosas expedições botânicas, que o levou muitas vezes a áreas que são ricas em plantas suculentas. Sua primeira grande jornada começou pelo Togo, depois México, Namíbia, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile e Guiana, países que ele colheu farto material vegetal, levando para Berlim.
Sua paixão desde a infância por cactos foi por influência de Werner Rauh, que talvez, inspirando-o duas de suas mais importantes monografias: gênero Pereskia (1986) e de gênero Maihuenia (1997), ambas são, sem dúvida, os estudos mais abrangente até o momento para gêneros dessa família. Do gênero Pereskia, algumas espécies são conhecidas no Brasil como Ora-pro-nobis.
Ele estava sempre interessado em publicações de vários gêneros argentino, alguns trabalhos muito completos sobre monotípicos de Denmoza e Blossfeldia e também, inclusive, vários em Opuntia Armata.
A lista de suas publicações podem ser vista na web, no site do “Botanischer Garten und Museum Berlin-Dahlem Botanischer”. São cerca de 130 trabalhos, entre eles, os espécimes de Cactaceas em herbários europeus e americanos, incluindo da Argentina.
Dr. Bata Ernst Leuenberger, aposentou-se e morreu de câncer no pâncreas, em maio de 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: